Destaques

Título Fafe Cidade Amiga das Crianças dá o mote para 2º dia Terra Justa
Nd5_5789
Data de Publicação 2017-04-05 00:00:00 +0100
Sub-título Fafe lança repto às crianças: O que mudarias no Mundo ?
Descrição

'Tráfico de Pessoas' em debate

 

O TERRA JUSTA continua durante o dia de hoje, sob o mote Fafe Cidade Amiga das Crianças.

Durante esta manhã, foi inaugurado o “Champimóvel”, da Fundação Champalimaund, um simulador interativo que permite uma viagem ao interior do cérebro humano. Este é um projeto itinerante da Fundação Champalimaud que pretende, de forma lúdica e didática, levar e permitir o acesso ao conhecimento a todas as crianças do país.

O Champimóvel vai estar na Arcada durante toda a semana para todos aqueles que queiram viver esta experiência.

 

Mais tarde, à semelhança do que foi feito ontem, cerca de 200 crianças dos ATL's do concelho depositaram um postal, no marco do correio, que continha desejos muito especiais e dava resposta à pergunta “Como Mudar a Cidade e o Mundo ?”

A iniciativa, que nasceu de um desafio lançado aos alunos do 1º ciclo, procura perceber junto dos mais novos o que poderá ser feito para um mundo melhor.

Com a colaboração das escolas e ATL's, foram depositados, entre o dia de ontem e hoje, cerca 500 postais que, agora, vão ser enviados ao Secretário Geral da ONU, Engenheiro António Guterres.

 

Crianças em Terra de Ninguém“ foi o mote para uma Conversa no Café de Avenida, que contou com a participação de Ir. Carmen Elisa Bandeo, representante da Rede Talitha Kum, que destacou o papel da rede “Esta é uma rede de redes que procura devolver a dignidade a vítimas de trafico humano. O nosso objectivo é também integrar estas vítimas na sociedade, procurando que tenham uma “vida normal”.

Ir. Julieta Dias, representante da Comissão de Apoio às Vitimas do Tráfico de Pessoas, alertou que “todos podemos ser vítimas. Esta é uma realidade que pode afectar qualquer um. Procuramos, por isso, fazer uma sensibilização permanente para esta causa.”

 

Cláudia Pedra, investigadora e diretora do NSIS – Network of Strategic and International Studies, destacou o ainda desconhecimento e desatenção que existe. “Só há cerca de 10 anos é que existe uma lei específica para o tráfico. Há 20 anos, havia um total desconhecimento sobre este problema. Embora tenha havido uma evolução, ainda há muito muito por fazer.

Em Portugal, continua a haver uma desatenção enorme. Há, inclusive, uma tentativa deliberada para esconder este assunto. “

Cláudia Pedra alertou ainda para o perigo das redes sociais “Todos os dias, os traficantes desenvolvem novas estratégias. E, aqui, as redes sociais são uma grande arma de recrutamento e angariação, uma vez que as pessoas e expões ao máximos nas redes sociais.”

 

 

Esta tarde, será inaugurado o “Caminho das Causas”, no centro da cidade, e as Exposições “Talitha Kum – Levanta-te” e “UNICEF – Para todas as Crianças”, no Arquivo Municipal.

Mais tarde, vai ser assinado o protocolo de adesão FAFE CIDADE AMIGA DAS CRIANÇAS / UNICEF.

Imagens
Powered by: TextoVirtual.com